Unidades Escolares
Colibri Gracinha
Unidades Socioassistenciais
Clarisse Gracinha

Clarisse Digital / Clarisse Digital

         O Centro Clarisse, de olho no uso das novas tecnologias, tem apostado na formação da equipe e no aperfeiçoamento das ferramentas tecnológicas.

         O Projeto “Clarisse Digital” teve como primeiro passo a formação dos funcionários para uma melhor exploração dos recursos já existentes, a fim de ampliar e aprimorar o planejamento do dia a dia. Estão utilizando agora a plataforma Moodle para sistematização e compartilhamento do trabalho, criando mais uma forma prática de registro e acompanhamento.

         A Oficina de Robótica e a Oficina de Lógica e Matemática também compõem o Projeto Clarisse Digital. Voltadas para os educandos, elas têm proporcionado uma maior interação entre os adolescentes através da análise de situações-problema e na busca por soluções inovadoras e eficientes, desenvolvendo ainda mais o raciocínio lógico-matemático nas situações do cotidiano.

         Desenvolvidas por um jovem morador e voluntário da comunidade, as oficinas já se transformaram em uma atividade bastante lúdica e descontraída, despertando a atenção de todos.

         É a convivência e a tecnologia, aliadas na busca por uma sociedade mais justa e inclusiva.

SARAU PASSARIM / SARAU PASSARIM

Encerrando o ano de 2017, foi realizado o SARAU PASSARIM no dia 15/11, na Casa de Cultura do Butantã, reunindo todos os seus grupos das unidades: Centros Clarisse e Gracinha, CEU Uirapuru e Casa de Cultura do Butantã para uma apresentação totalmente diferente. Além de apreciarem as apresentações dos colegas das outras unidades, os alunos tiveram a oportunidade de interagir uns com os outros por meio de arranjos musicais e vivenciando uma experiência única de integração. É gratificante perceber o resultado do trabalho e os avanços dos nossos passarins.

Na primeira parte do evento, abrimos com a orquestra de Sopros do Centro Clarisse, seguida pelos violinos do CEU Uirapuru, unindo-se à Camerata da Casa de Cultura, formando uma grande orquestra de cordas, a maior que já tivemos. Finalmente, as flautas e escaletas do Centro Clarisse tocaram com a mesma Camerata.

Na segunda parte foi apresentado o Coral do Centro Gracinha em harmonia com o espetáculo intitulado “Todas as vidas”, inspirado no poema homônimo de Cora Coralina, que foi recitado pela atriz Ana Maria Carvalho.

Um fechamento excepcional para este ano de grandes desafios.

Confira o vídeo do 2º Festival Culturarte do Jaqueline / Confira o vídeo do 2º Festival Culturarte do Jaqueline

O Centro de Convivência Clarisse realizou no sábado, 30 de setembro, o 2° FESTIVAL CULTURARTE DO JAQUELINE. O evento agitou as ruas do bairro durante todo o dia, com muita música ao vivo, apresentações teatrais, grupos de dança, bate-papos, grafites entre outras atividades e apresentações culturais.

O Festival foi um sucesso! Nossos educandos, suas famílias e convidados prestigiaram as atividades que ocuparam e interferiram na paisagem do bairro de forma bastante significativa, lúdica e poética. Contamos com o apoio de mais de 180 pessoas, entre artistas e voluntários. A repercussão dentro da comunidade tem sido algo surpreendente e já estamos pensando no 3° Festival Culturarte em 2018.

Confira, em primeira mão, o vídeo oficial do evento!

Tintas coloridas para alegrar dias cinzas / Tintas coloridas para alegrar dias cinzas

No sábado, 07 de outubro, o Centro de Convivência Clarisse recebeu a visita do projeto Quadras Inesperadas criado em parceria entre a Tintas Coral e o Atados. Mas outra visitante igualmente inesperada também apareceu por lá. De quem será que estamos falando?

Uma equipe mobilizada, espaços prontos para serem transformados, um grupo de voluntários animados, e tintas. Muitas tintas. Era esse o cenário no Centro de Convivência Clarisse.

Até então, a proposta do projeto era que essa mistura pudesse dar origem a duas quadras esportivas: uma de basquete, na entrada do Centro, e uma pista de corrida em uma viela nos arredores, que ficaria à disposição de toda a comunidade. No entanto, tivemos uma visita inesperada que atrapalhou um pouco os planos iniciais: a chuva. A solução foi pensar fora da caixa e trazer o trabalho para dentro da sala.


Se já não é possível dar vida a uma quadra externa embaixo de chuva, tampouco seria utilizá-la sob as mesmas condições. Então, por que não criar um espaço que pudesse ser utilizado mesmo em dias cinzas como este?

Assim surgiu uma quadra não só inesperada, mas também bem diferente. Um jogo de dardos na parede da sala de convivência transformou o antigo ambiente em um espaço descontraído. Ainda na mesma parede, foram pintados tabuleiros e uma forca, pensadas para agradar crianças e adolescentes de todas as idades.

Para aumentar o espaço de convivência, o cantinho da leitura também ganhou novas cores e novos ares.

As duas mudanças demandaram muita criatividade do time de voluntários e da equipe de apoio do Centro Clarisse, que acompanhou e auxiliou todo o trabalho, trazendo à tona a importância de exercitar corpo e mente, em dias de sol e de chuva.

Confira o resultado desse time que trouxe mais cor e alegria ao nosso espaço!




Denise Carvalho
Voluntária

Centro Clarisse no Parlamento Jovem Paulistano 2017 / Centro Clarisse no Parlamento Jovem Paulistano 2017

O Parlamento Jovem foi criado na Câmara Municipal de São Paulo em 2001. O principal objetivo é oferecer aos jovens uma experiência voltada para o exercício da cidadania e democracia, podendo vivenciar por um dia os trabalhos do Poder Legislativo.

A convite do Gracinha – Escola Nossa Senhora das Graças, que anualmente desenvolve este projeto com alunos do Ensino Fundamental II, a partir de maio, alguns adolescentes do Centro Clarisse integraram um grupo de estudos para elaboração de projetos de lei a serem enviados ao Parlamento Jovem 2017. Muitos encontros aconteceram, propiciando reflexões sobre as necessidades do munícipio de São Paulo, objetivando a melhoria da qualidade de vida dos paulistanos para o pleno exercício da cidadania.

Em agosto, foi realizada uma plenária para apresentação e escolha, mediante votação dos projetos que seriam inscritos. Os alunos do Gracinha e os educandos do Clarisse decidiram por dois deles, ambos do Partido da Natureza, voltados para o eixo do meio ambiente.

Em outubro, foi publicado o resultado do Parlamento Jovem 2017, e o projeto de lei “Captação de água da chuva”, elaborado pelos adolescentes do Centro Clarisse, foi o selecionado. A adolescente Karen Ranyere representará o Centro, como Parlamentar Jovem, por um dia, na Câmara Municipal de São Paulo, em sessão a ser realizada no dia 10 de novembro.

Planejado tanto para atenuar o problema de falta d’água, quanto para dar oportunidades de emprego aos atendidos pelos CTAs – Centro Temporário de Acolhida, o projeto contempla uma necessidade da comunidade do Jardim Jaqueline, bairro onde está localizado o Centro Clarisse, e também um CTA, recentemente inaugurado.

O Parlamento Jovem ainda possibilitou ao Centro Clarisse ampliar suas parcerias, agora com a escola pública do Jardim Jaqueline, Vianna Moog, tendo sido o seu diretor  convidado a integrar o Conselho Escolar.

Por meio do exercício da cidadania, os jovens se perceberão como parte da cidade, contribuindo para que esta seja mais democrática, justa e, de fato, para todos.

 

 

Parlamento Jovem Paulistano 2017 / Parlamento Jovem Paulistano 2017

No dia 02 de outubro saiu o resultado sobre o Parlamento Jovem Paulistano 2017, e o projeto de lei “Captação de água da chuva”, pensado e escrito pelos adolescentes do Centro Clarisse, foi selecionado. A adolescente Karen Ranyere será nossa representante, tornando-se jovem parlamentar por um dia na Câmara Municipal de São Paulo, no dia 10 de novembro.

O projeto escolhido foi elaborado ao longo de 2 meses por um grupo de adolescentes do Centro Clarisse, com a colaboração da estagiária Samanta Gasparim, em parceria com alunos e professores da Escola Nossa Senhora das Graças. Pensado tanto para solucionar o problema de falta d’água em período de estiagem, quanto para dar oportunidades de emprego aos atendidos pelos CTAs (Centro Temporário de Acolhida), o projeto reflete a realidade dos adolescentes do Jardim Jaqueline, comunidade onde está localizado o Centro Clarisse, e onde recentemente foi inaugurado um CTA.

 

Lançamento do 2º Festival Culturarte / Lançamento do 2º Festival Culturarte

No dia 12 de setembro, a equipe e os educandos do Centro de Convivência Clarisse estiveram na sede da Associação Pela Família fazendo um convite musical para a segunda edição do “Festival Culturarte do Jaqueline”.
Confira um pouco da apresentação que emocionou a todos.

O Festival, organizado pelo próprio Centro Clarisse, é um grande acontecimento no bairro e reúne esforços de diversos parceiros, com o objetivo de ocupar as ruas do Jaqueline promovendo práticas culturais. Em sua segunda edição, o evento acontecerá no dia 30 de setembro a partir das 9h30, com atrações musicais, teatrais, palestras e muito mais. A programação completa está disponível nas redes sociais da Ação Social da ASPF e no evento do “2° Festival Culturarte do Jaqueline”, no Facebook. Participe! Acesse: Facebook da Ação Social.


Presidente do Conselho Diretor da ASPF dedica algumas palavras de afeto aos presentes

Passarim no programa Cidade Viva / Passarim no programa Cidade Viva

O programa Cidade Viva, da TV Câmara, realizou uma matéria para apresentar a Casa do Bandeirante e a Casa de Cultura do Butantã.

O Projeto Passarim que há quatro anos integra a programação da Casa de Cultura, conta com crescente adesão de alunos de todas as idades, inclusive parentes. Nessa matéria o Passarim teve a oportunidade de contar um pouco sobre a rotina do projeto, com depoimentos dos professores e educandos que participam das aulas. Confira na íntegra!

Slam Racha Coração – Centro Gracinha / Slam Racha Coração - Centro Gracinha

Dentre as atividades que ocorreram durante o mês de agosto no Centro de Convivência Gracinha, destacamos o “Slam Racha Coração”, que habitualmente é realizado todo primeiro domingo do mês na Casa de Cultura de São Miguel Paulista. O Racha Coração é uma batalha de poesias autorais de no máximo três minutos de duração, cujo tema principal são poesias de amores, desamores e afins. O vencedor da batalha ganha também uma vaga para competir na final do Racha Coração com vencedores de outras edições do ano.

O evento foi comandado pelo seu organizador e Slamer Rafael Carnevalli, e também contou com a participação da Slamer Patrícia Meira, que vem atuando em nossa instituição com oficinas de produção de poesias. A noite foi um sucesso, com o comparecimento de familiares, funcionários e educandos. Um espaço democrático para a exaltação da poesia e da produção autoral.

Sobre o Slam em nossa instituição, o trabalho parte da construção de poesias periféricas autorais e tem mostrado aos participantes novas formas de se comunicar na sociedade, através de poesias que retratam a realidade em que vivem.

Semana de Combate à Violência no Centro Clarisse / Semana de Combate à Violência no Centro Clarisse

Entre os dias 15 e 19 de maio foi realizada na região do Butantã a Semana de Combate à Violência, ação que visa estimular a reflexão e o diálogo sobre as diversas formas de violência, em especial o abuso, a exploração e violência sexual contra crianças e adolescentes. A atividade foi organizada pelo FOCA-BT (Fórum de Defesa de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes) e contou com a participação de ambos os centros de convivência da Associação na promoção de uma semana recheada de atividades, em que os educandos não só participaram aproveitando as atividades, como também protagonizando outras, sendo eles os próprios executores destas. Aqui você confere um pouco do que rolou no Centro de Convivência Clarisse.

Na segunda-feira, iniciamos com uma roda de conversa interativa, na qual falamos sobre o Caso Araceli, crime brutal ocorrido em 1973, buscando trazer o contexto do dia 18 de maio, além de apresentação de vídeos tratando da violência racial e contra mulheres e a relação que as crianças têm com essas, buscando um paralelo entre a violência cometida contra mulheres e contra crianças.

Isso aqueceu um rico e proveitoso debate para iniciarmos a semana, que seguiu com uma visita especial terça-feira ao Parque Chácara do Jóquei, num encontro com Esmeralda Ortiz.
Esmeralda Ortiz é palestrante, cantora e escreveu o livro Esmeralda – Por que não dancei?, e foi a partir deste livro que Esmeralda começou a nos contar sobre sua vida, sobre as violências, uso de drogas, o sofrimento e a resistência de ter morado na rua durante anos, sendo uma mulher negra, pobre e que foi presa por diversas vezes quando menor de idade. Mas ela resistiu, encontrou pessoas e oportunidades que a ajudaram a se reerguer, não dançar na vida e poder conversar com os educandos dos CCAS Clarisse, Gracinha e alunos da Escola da Vila, que ficaram compenetrados nas histórias que Esmeralda tinha pra contar, riram com ela e se emocionaram com o samba que ela nos mostrou, de sua autoria. Após a conversa, todos se deliciaram com um piquenique no parque.

Na quarta-feira foi dia de arte urbana com os artistas e voluntários do Clarisse, Gustavo Ramos e Diego Fagundes, no Parque Raposo Tavares. Gustavo e Diego conversaram com os educandos dos CCAs Clarisse e São Miguel sobre o quanto o grafite e o rap foram alternativas perante a criminalidade, e hoje em dia é o trabalho dos dois jovens do Jardim Jaqueline. Após a conversa, enquanto alguns educandos se divertiam grafitando um tapume com Diego, outros se reuniram com Gustavo e fizeram uma roda de rap, improvisando rimas e cantando músicas.
Na quinta-feira, 18 de maio, nosso dia de atividades foi no Parque Vila Lobos, onde diversos CCAs, escolas e aparelhos públicos da Assistência Social de São Paulo estavam realizando atividades em várias tendas e palco montados especialmente para esse evento.

Alguns educandos dos CCAs Clarisse e Gracinha ficaram na tenda “Descobrindo meu corpo através das histórias”, onde se revezaram em grupos para apresentar um teatro de fantoches, com 3 historinhas curtas que falavam sobre os direitos e deveres das crianças e, por fim, que o direito aos seus próprios corpos deve ser respeitado. Os educandos ficaram livres para passear por todas as tendas de diferentes temas, algumas buscando conscientizar sobre sexualidade e a importância da prevenção, outras sobre os perigos do consumo de drogas em bailes funk, outra falava sobre a importância de se combater à homofobia para uma sociedade mais justa.

Apresentações de dança, teatro, músicas e rap foram feitas no palco onde os protagonistas do dia foram os adolescentes de diversos centros. O dia foi recheado de interações e diversão para os educandos e educadores, que se envolveram com as atividades e fizeram um dia importante ser lembrado e ganhar grande visibilidade.

Nossa semana chegou ao fim, mas a bagagem de conhecimento, aprendizagens, vivências, diversão, cultura e protagonismo jovem que ela nos proporcionou enriqueceram muito a todos e todas que se envolveram com a Semana de Combate à Violência, Exploração e Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes. E conseguimos, em união, mostrar que bem organizados e atuantes podemos alçar voos e descobrir novas formas de viver e se relacionar consigo mesmo, com o próximo, com a nossa comunidade e na ocupação de espaços públicos de nossa cidade, de forma mais justa, respeitosa e feliz.
Confira as fotos das atividades realizadas ao longo da semana.

Semana de Combate à Violência no Centro Gracinha / Semana de Combate à Violência no Centro Gracinha

Entre os dias 15 e 19 de maio foi realizada na região do Butantã a Semana de Combate à Violência, ação que visa estimular a reflexão e o diálogo sobre as diversas formas de violência, em especial o abuso, a exploração e violência sexual contra crianças e adolescentes. A atividade foi organizada pelo FOCA-BT (Fórum de Defesa de Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes) e contou com a participação de ambos os centros de convivência da Associação na promoção de uma semana recheada de atividades, em que os educandos não só participaram aproveitando as atividades, como também protagonizando outras, sendo eles os próprios executores destas.

Essa ação foi proposta para destacar o dia 18 de maio – Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso, Exploração e Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. Esta data, desde 2000, relembra a morte de Araceli Cabrera Crespo, 8 anos, brutalmente assassinada e carbonizada depois de ser raptada, drogada e estuprada no Espírito Santo, em 1973. Seu assassinato ainda hoje permanece um mistério e seu processo foi arquivado.
As unidades participantes deveriam propor ações a partir da temática. A programação foi intensa e recheada de iniciativas interessantes, dentre elas destacamos as atividades organizadas pelo CCA Gracinha:
• Dia 15/05, segunda – dia de atividades lúdicas no parque Chácara do Jóquei a partir da temática “Criança não namora, criança brinca”;
• Dia 16/05, terça – Cine Gracinha com a exibição dos filmes “Minha vida de abobrinha”, “Hoje quero voltar sozinho” e “Indomável sonhadora”;
• Dia 17/05, quarta – teatro de fantoches “Descobrindo o meu corpo” e oficina de flores de papel crepom (a flor amarela é o símbolo da Campanha do dia 18 de Maio – Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso, Exploração e Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.);
• Dia 18/05, quinta – Oficina de contação de histórias no parque Villa-Lobos

• Dia 19/05, sexta –   Ciclo de debates sobre violência.
De todas as atividades realizadas, destacamos especialmente o Slam Gracinha, realizado na sexta-feira, dia 19/05, à noite. O Slam é uma batalha de poesias autorais. Para este primeiro evento no CCA Gracinha, foram convidados alguns slamers: Sadrac, Sereia, Deusa Poetisa, Patricia e Renata. Dentre elas, destacamos a Deusa Poetisa, que já participou da batalha nacional de poesias, e Sereia, uma slamer de 14 anos muito talentosa. O Gracinha também teve sua competidora. Isadora Pereira Moura, de apenas 12 anos, se inscreveu para batalhar e emocionou toda a equipe, seus colegas de grupo e as famílias também presentes, encerrando assim a semana de combate à violência.

Vejam algumas fotos dessa noite maravilhosa.

XIX Exposição de Arte e Cultura – Centro de Convivência Gracinha / XIX Exposição de Arte e Cultura - Centro de Convivência Gracinha

Nos dias 02 e 03 de dezembro aconteceu no CCA Gracinha a XIX Exposição de Arte e Cultura. Os trabalhos expostos são resultado do projeto Arte e Di.ver.cidade, que trabalhou aspectos culturais e históricos da cidade de São Paulo e do bairro do Butantã.

A abertura do evento ocorreu na última sexta-feira. No hall de entrada – que estava decorado com fotos das doadoras do terreno em que a unidade foi construída, D. Durvalina, D. Zilda e D. Ilda, também fundadoras do projeto – os visitantes puderam retirar audioguias da exposição, que foram produzidos pelas crianças do módulo II (9 a 11 anos). A narrativa, gravada para este fim, mescla informações sobre a rotina da casa e das atividades que acontecem diariamente em cada um dos espaços com relatos sobre a trajetória da unidade ao longo dos anos.

Na maior sala da unidade, os educandos, também do módulo II, reproduziram, em uma maquete, os prédios dos serviços públicos da região do Butantã. A experiência de observação e identificação dos locais ali retratados foi acompanhada pelos relatos de alguns moradores do bairro que contaram, em gravação, aos “Caçadores de histórias” – equipes organizadas pelas próprias crianças para coletar os áudios e informações para a realização deste trabalho –, um pouco sobre como a região do Monte Kemel cresceu e se desenvolveu.

Descendo as escadas do prédio foi possível observar a instalação com lambe-lambes produzidos pelos adolescentes do módulo III (12 a 14 anos).  As peças continham fotos da região e também do centro da cidade. Cada rua e ponto de São Paulo, ali representados, possuíam seus nomes indicados também em tupi-guarani, em referência aos estudos sobre culturas indígenas anteriormente realizados pelo grupo.

No espaço de convivência foi possível apreciar mais duas instalações, também produzidas pelo mesmo grupo. A primeira instalação era composta por uma projeção de sequências de fotos sobre temas urbanos escolhidos pelos adolescentes. Já a segunda, criada a partir da reflexão sobre os estereótipos e perfis associados à imagem da mulher – principal temática retratada pela artista e fotógrafa norte americana Cindy Sherman – foi composta por uma sequência de stop motion com personagens criadas pelos próprios educandos, que fotografaram e, posteriormente, transformaram as imagens em ilustrações. Os esquetes foram projetados no telhado do ateliê de artes.

As crianças do módulo I (6 a 8 anos) também fizeram trabalhos incríveis que deixaram a mostra ainda mais atraente e divertida. Os pequenos, a partir da escuta de determinados barulhos e sons, desenharam “monstros imaginários” que depois foram confeccionados em tecido. Cada monstrinho recebeu um RG de identificação e passaram a acompanhar as crianças durante as saídas pelo bairro. Cada monstro virou uma espécie de amigo confidente de cada criança, pois elas compartilharam com eles histórias sobre suas famílias e sobre suas preferências e gostos pessoais. Para dar mais realidade à vida das personagens, os educandos protagonizaram a locução da programação da “Rádio Monstro”, que ficou sintonizada durante toda a exposição.

O primeiro dia da exposição foi encerrado com a apresentação do grupo feminino Forró do Assaré, fundado por moradoras do Butantã.

O sábado foi dedicado às apresentações musicais do Passarim e da orquestra de percussão do CCA Gracinha. A comunidade e familiares, sempre presentes e que acompanham as apresentações dos grupos, ficaram encantados.

Confira como foi!

ASPF realizou a última visita monitorada de 2016 / ASPF realizou a última visita monitorada de 2016

No dia 25 de outubro aconteceu a última visita monitorada de 2016 para algumas unidades da ASPF. Com essa iniciativa, a Associação proporcionou ao seu público a oportunidade de conhecer um pouco do trabalho socioeducacional desenvolvido pela instituição. Agradecemos a todos que participaram e contribuíram com ideias e sugestões.

Confira um pouco da experiência do último encontro.

  • Cristiane Caruso Ricci (mãe de aluno da ENSG): “Experiência ímpar que me possibilitou não apenas conhecer todos os projetos mantidos pela ASPF como ter a oportunidade de contribuir com sugestões, ideias para esse belo trabalho que impacta positivamente milhares de crianças e suas famílias. Hoje pude ter uma real dimensão do que é a ASPF e me sinto muito orgulhosa de fazer parte desse time, dessa corrente do bem”.
  • Maricy Corazza Tango Bechara (mãe de aluno da ENSG): “Depois de 12 anos de escola, tive a grata surpresa de conhecer a Associação. Uma pena, ter somente acesso neste momento. Sinto necessidade de uma divulgação maior do projeto. É necessário entender qual a vinculação real do Gracinha com as entidades da Associação. Pude comprovar a seriedade do trabalho, muito empenho dos funcionários e alegria no trabalho. Fomos muito bem atendidos e a visita foi esplendida. Façam maior divulgação do trabalho para que TODAS as famílias da escola tenham acesso. Trazer as crianças da escola nas instituições é fundamental para estar dentro dos projetos”.
  • Denny Araujo Nascimento (funcionário da ENSG): “Adorei, me senti, como funcionário, muito feliz, por outro lado me sinto devedor. Tenho tanto para colaborar, tanta coisa para passar, sou hoje prova viva do que oportunidades podem fazer com um jovem de periferia. Quero de alguma forma colaborar com todos os centros e escolas”.
  • Erika Campos Tsukamoto (funcionária da ENSG): “Termino a vivência satisfeita e muito feliz! Feliz por saber que faço parte desta equipe comprometida com a sociedade e o ser humano. Em cada lugar visitado pude perceber muito envolvimento, respeito e carinho com educandos e funcionários. Agradeço a oportunidade desta vivência e deste dia produtivo e agradável. Deixo como sugestão maior divulgação e envolvimento (oportunidade como esta) na ENSG. Pela conversa com os pais e funcionários percebo a importância da conscientização do trabalho desenvolvido pela Associação. Gostaria também de participar mais destes projetos, tentarei me organizar para tornar isso possível”.
  • Josiane Alves dos Santos Santana (funcionária da ENSG): “Tive um dia bem agradável, onde pude conhecer e entender melhor sobre as atividades dos centros e da Escola Colibri. Tivemos um bom esclarecimento sobre a aplicação das verbas repassadas em forma de bolsas que ajudam e amparam vidas. Espero de coração que a cada dia esses projetos possam crescer e se multiplicar com a finalidade de atender a quem necessita. Parabenizo cada diretor, gestor por estar na frente desses trabalhos! Vou levar o dia de hoje em meus pensamentos, com ótimas lembranças”.

 

 

Centro Clarisse realiza programação de férias com diversas atividades externas / Centro Clarisse realiza programação de férias com diversas atividades externas

Durante o mês de julho, o Centro de Convivência Clarisse realizou uma série de atividades externas com suas crianças e adolescentes. Como estavam em período de férias escolares, foi possível realizar atividades com uma flexibilidade maior de horário, de local e de formato.

“As crianças e os adolescentes ficam eufóricos com propostas mais lúdicas, práticas, interativas e descontraídas também, além do que é uma bela oportunidade de conhecer lugares diversos da cidade, se apropriando dos espaços públicos, de esporte, cultura, educação e lazer”, explica André Luiz Pereira, Diretor do Centro Clarisse.

Para definir as atividades que foram desenvolvidas no Clarisse, foi realizada a Assembleia dos Educandos, uma reunião com todos do módulo I e II, que ocorre a cada dois meses, para que possam dar sugestões, fazer elogios, críticas e também conversar. Na assembleia, que é totalmente mediada por um grupo de adolescentes, participam todos os membros e educandos. “Na assembleia de maio, as crianças e os adolescentes sugeriram os locais que gostariam de ir durante as férias e conseguimos realizar muitas dessas sugestões!”, conta André.

Veja as atividades desenvolvidas na programação de férias:

· MASP – Exposição Memórias da Infância
· Boliche
· Cinema – Cinemark
· Pizza Hut
· Parque Raposo Tavares
· Parque Chácara do Jockey
· Parque do Ibirapuera
· Teatro: peça Tanto Mar
· Festa dos aniversariantes
· Cine Clarisse

ASPF realiza o segundo dia de vivência pelas unidades / ASPF realiza o segundo dia de vivência pelas unidades

A ASPF promoveu o segundo dia de visitas programadas e monitoradas, visando possibilitar ao seu público a oportunidade de conhecer um pouco do trabalho socioeducacional desenvolvido pela instituição.
A segunda visita aconteceu no dia 21 de junho e teve a participação de mães e pais de alunos do Gracinha – Escola Nossa Senhora das Graças, um pai de candidato a aluno da escola e uma associada da ASPF.
Os visitantes gostaram muito de conhecer um pouco da história de cada unidade, bem como o trabalho desenvolvido, e parabenizaram a iniciativa.

Confira alguns depoimentos a respeito da visita:
• Leonardo Fulgêncio (pai de aluno ENSG): “Gostei de conhecer as entidades mantidas pela Associação. Fiquei impressionado com a organização e pelo trabalho social realizado. São muitos desafios a serem superados. Obrigado pela experiência!”
• Lucas Yugo (interesse para 2017 ENSG): “Sou pai do possível futuro aluno do Gracinha e me interessei pela ASPF. Fiquei muito feliz em conhecer melhor os projetos da Associação e principalmente, as pessoas que fazem isso acontecer. Parabéns.”
• Mônica Simas (mãe de aluno ENSG): “Fiquei muito impressionada com a estrutura e com a coerência e a coesão dos valores da mantenedora que irradiam para todas as unidades.”

Integração através do maracatu / Integração através do maracatu

O Grupo de Danças Tradicionais Brasileiras do Centro de Convivência Gracinha tem realizado diversas apresentações de maracatu pela cidade, incluindo parques e escolas.

A Nova Escola e a Escola Nossa Senhora das Graças, unidades da Associação Pela Família, tiveram a oportunidade de compartilhar essa vivência, recebendo as crianças e os adolescentes do Centro de Convivência Gracinha.

Na Nova Escola, o Grupo de Danças desenvolveu uma oficina, possibilitando aos estudantes da unidade conhecer mais sobre essa manifestação da cultura popular pernambucana afro-brasileira. Já no Gracinha, o Grupo se apresentou na Festa Junina, onde até os pais e os alunos participaram da dança.

As apresentações de maracatu pelas unidades da ASPF têm o intuito de contribuir para a integração. Por meio da dança, os alunos, as famílias e as comunidades escolares podem aprender mais sobre a rica cultura popular do nosso país.

 

Centro de Convivência Gracinha na Pinacoteca / Centro de Convivência Gracinha na Pinacoteca

No dia 13 de abril, quarta-feira, as crianças do Módulo II, do Centro de Convivência Gracinha, fizeram uma vista à Pinacoteca do Estado de São Paulo. Lá, conheceram o acervo local e puderam estar em contato com a arte em suas diferentes formas.

A visita tem como objetivo propiciar às crianças, de 9 a 11 anos, do Centro a vivência no espaço do museu e entender a monitoria guiada por audioguia. Esta ferramenta também será explorada pelas crianças em uma exposição que ocorrerá, em dezembro, no Centro de Convivência Gracinha.
Veja como foi a visita!

Termina o curso Jovem Vem Ser Aprendiz / Termina o curso Jovem Vem Ser Aprendiz

O curso Jovem Vem Ser Aprendiz, realizado pelo Centro de Convivência Clarisse, terminou no dia 8 de abril. A iniciativa teve como objetivo inserir jovens de 15 a 24 anos no universo do mercado de trabalho, para que eles compreendessem a dinâmica dos processos para conquistar a vaga no emprego desejado.

Além de dicas e orientações, os participantes tiveram um bate-papo com profissionais de áreas distintas para aprender mais sobre algumas profissões. O diretor do Centro, André Luiz Pereira, a estudante de Direito e educadora social, Roberta Reiko Durante Sato, e o profissional da área de Tecnologia da Informação e microempresário, Josmar de Lira Garcia, auxiliaram e tiraram as dúvidas dos jovens, que agora estão preparados para ir atrás de seus sonhos.

Veja as fotos do último dia!

Começou o curso Jovem Vem Ser Aprendiz / Começou o curso Jovem Vem Ser Aprendiz

Na segunda-feira, 4 de abril, o Centro de Convivência Clarisse deu início ao curso Jovem Vem Ser Aprendiz, que tem duração de 4 dias. Para dar as boas-vindas, uma dinâmica divertida foi realizada com o grupo.

No curso, os participantes de 15 a 24 anos desenvolvem diversas atividades para compreender o universo variado e competitivo do mercado de trabalho. Em uma delas, escreveram 5 objetivos para seus projetos de vida, em seguida, compartilharam com os demais e conversaram sobre o que cada um escreveu. Eles puderam também fazer uma análise sobre o cenário atual do mercado de trabalho.

Em outra atividade do primeiro dia, os jovens classificaram as aptidões que possuem e as relacionaram às atividades que podem ser desenvolvidas com suas habilidades. O curso é gratuito e tem como objetivo orientar e auxiliar na busca pelo primeiro emprego.

Garrafas da Gentileza conscientiza e agrada a comunidade / Garrafas da Gentileza conscientiza e agrada a comunidade

Pensando na disseminação de práticas sustentáveis pela comunidade do Jardim Jaqueline, o Centro de Convivência Clarisse elaborou uma iniciativa que fará parte do Projeto 2016 das crianças do Módulo I do Centro.

A partir de março, será inciada a confecção das Garrafas da Gentileza. A ideia é uma forma artística de distribuir na comunidade poesia e gestos de delicadeza! As crianças irão reaproveitar garrafas que teriam como destino o lixo e darão a elas um novo uso, como enfeite ou vaso para flores, para alegrar a casa dos moradores da região.

Apesar de ser focado no bairro do Jardim Jaqueline, qualquer pessoa pode contribuir com o projeto, através da doação de garrafas em bom estado.Tem alguma sobrando e gostaria de colaborar com a iniciativa? Será um prazer transformá-la em obra de arte e presentar a comunidade! Para doar e fazer parte, entre em contato com a gente pelo (11) 3751 0438 ou envie um e-mail para clarisse@centroclarisse.org.br.

IMG_1302