Unidades Escolares
Colibri Gracinha
Unidades Socioassistenciais
Clarisse Gracinha

Plantação de bananeira, agroecologia e capoeira no Clarisse / Plantação de bananeira, agroecologia e capoeira no Clarisse

Iniciamos as atividades do Centro Clarisse em 2019 com novas parcerias!
Estudantes e professores(as) dos cursos de Oceanografia, Biologia e Geografia da Universidade de São Paulo (USP) participarão do projeto , que será integralmente financiado e monitorado pela pró-reitora de extensão.
O objetivo do projeto é contribuir para o desenvolvimento da percepção do espaço público por meio da interação entre o ambiente natural e o social. Serão realizadas vivências com o uso de história oral, movimentação corporal e conhecimentos das Ciências Sociais.
A capoeira, parte fundamental do projeto, será desenvolvida pelo Centro de Estudos e Aplicação da Capoeira (Ceaca). O Ceaca trabalha com expressão corporal, social e cultural da capoeira na região há mais de 30 anos, atuando em diversas instituições, como a Emef Desembargador Amorim Lima, referência entre as escolas municipais de São Paulo por ser pioneira na adoção da metodologia da Escola da Ponte de Portugal.
O Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional do Butantã (Cresan-Bt) e o Parque Raposo Tavares também são parceiros nessa iniciativa.
O projeto, que tem duração de um ano, com atividades semanais, será mais um espaço de fortalecimento dos vínculos comunitários criados pelo Clarisse, em parceria com a comunidade e a academia.

efacfcf0-f3b2-4f64-8bab-5651a533f7ec

Parceria INSTITUTO BM&F BOVESPA e Centro Gracinha / Parceria INSTITUTO BM&F BOVESPA e Centro Gracinha

O Centro Gracinha, em parceria com o INSTITUTO BM&F BOVESPA, organizou um mutirão com o objetivo de prestar serviços básicos para as famílias atendidas e comunidade do entorno, que têm difícil acesso a serviços de saúde, educação, cultura e lazer.
A parceria foi estabelecida por meio de um edital. O Gracinha concorreu com várias outras instituições sociais e foi eleito pelos funcionários da Bovespa.
O início da ação, no dia 27 de outubro, contou com atividades realizadas com as famílias, crianças e adolescentes atendidos. Eles construíram um jardim vertical de plantas alimentícias não convencionais (PANCS), uma composteira, um sistema de captação de água de reúso e pintaram a quadra.
Seguiram-se atividades desenvolvidas semanalmente, como a doação de livros, gibis e jogos.
A última grande ação acorreu no dia 10 de novembro e envolveu também a comunidade do entorno. Profissionais de diferentes áreas e funcionários da BOVESPA e do Centro Gracinha realizaram atividades esportivas, artísticas e de culinária, ofereceram orientação jurídica, organizaram uma feira de profissões, além do atendimento de saúde, que foi o mais procurado: orientação sobre doenças e higiene bucal.
A parceria possibilitou a execução do projeto de sustentabilidade ambiental da unidade, dialogando com temáticas abordadas durante o ano. É fundamental observar a aproximação das pessoas com ações relativas às práticas sustentáveis, para dar continuidade ao trabalho. A partir da construção da horta e da composteira, a comunidade do Gracinha tem a oportunidade de desenvolver novos hábitos e atitudes sustentáveis.
“Sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade.” Raul Seixas

Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente / Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente

A Ação Social da ASPF participou da primeira Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente realizada dentro da Fundação Casa do estado de São Paulo, Complexo Raposo Tavares, no dia 26 de outubro.
Roberta Sato e Keila Mendes, educadoras do Centro Gracinha e do Centro Clarisse, respectivamente, estiveram presentes neste momento importante da história de luta pelos Direitos da Criança e do Adolescente na região do Butantã, contribuindo com a organização da Conferência, elaboração da proposta e realização das oficinas.
O Fórum em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Butantã (FOCA-Bt), em conversa com o diretor e a equipe pedagógica da Fundação desde maio de 2018, foi responsável pela parceria ao insistir na importância da inserção, neste debate, dos meninos que estão internados.
Em um debate em que crianças e adolescentes apontam onde seus direitos estão sendo violados, não ouvir os adolescentes em medidas de privação de liberdade torna o debate insuficiente. A contribuição deles é fundamental ao se falar de cerceamento de direitos, pois fazem parte de um dos grupos que mais tem seus direitos violados, e até agora estavam impossibilitados de se colocar.
A Conferência teve participação 16 adolescentes internos e da equipe técnica e pedagógica da Fundação – agentes, professores, coordenador pedagógico e o diretor da unidade. Durante o evento, que tinha como tema principal VIOLÊNCIA DE GÊNERO, os adolescentes refletiram e discutiram sobre o tema, elencando problemas e soluções, além de propor critérios para a eleição de um delegado que, posteriormente, os representou na Conferência Lúdica Municipal do Direitos da Criança e do Adolescente, realizada nos dias 7 e 8 de novembro, na Galeria Olido, no centro da cidade.

Semana do ECA / Semana do ECA

Há 18 anos, o Fórum em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Butantã (FOCA-Bt) realiza a Semana do ECA no mês de setembro. O Centro de Convivência Gracinha, desde o início, participa e tem um papel importante nesta ação.
A Semana do ECA tem por objetivo promover o encontro dos diversos atores do sistema de garantia de direitos – da saúde, educação, assistência social, conselho tutelar, comunidade, entre outros – para partilhar experiências e promover ações de promoção dos direitos da criança e do adolescente.
Este ano, a Semana do ECA começou com duas atividades potentes. A primeira, intitulada “Políticas Públicas: onde está o compromisso com a Infância e a Adolescência como prioridade absoluta?”, realizada no CEU UIRAPURU, contou com os palestrantes Daniel Palotti Secco, defensor público, coordenador auxiliar do Núcleo Especial da Infância e Juventude, e Gledson da Silva Deziatto, conselheiro tutelar do Rio Pequeno e Raposo Tavares, que mediaram a roda de conversa com os adolescentes de diversos Centros da Criança e do Adolescente e com os alunos do Ensino Fundamental II do CEU UIRAPURU.
No mesmo dia, foi realizada outra mesa – “Redes de Proteção: criança e adolescente como prioridade absoluta”–, realizada na Diretoria Regional de Educação (DRE) do Butantã, e foi composta por Willian Fernandes, advogado, professor universitário e ouvidor-geral da Defensoria Pública do Estado de São Paulo, e Eduardo Dias, promotor de Justiça na área da infância e juventude da capital. As redes de proteção têm sido uma pauta constante no FOCA-Bt, pois a região de Butantã é a primeira e a única da cidade de São Paulo a estabelecer polos de rede de proteção, fazendo com que a saúde, a assistência e a educação pensem em estratégias conjuntas para atendimento de situações complexas que envolvem as crianças e os adolescentes do território.
Ao longo da Semana, mais de 37 atores participaram e conduziram atividades internas, para os seus públicos, e externas, abertas para a comunidade, sobre os direitos de crianças e adolescentes.
Destacamos a atividade organizada pelos serviços de medidas socieducativas em meio aberto da Vila Sônia e do Rio Pequeno, denominada DIA DE LAZER NA PRAÇA. Ao longo do dia, as crianças puderam participar de um campeonato de futebol comunitário, além de retomar o espaço do brincar na rua com atividades de taco, pipa, capoeira, percussão e lanche coletivo, como forma de refletirmos sobre os espaços públicos e o dever da comunidade em zelar pelos direitos das crianças e adolescentes. Destacamos também o Sarau POETEC, organizado pelos alunos do curso de orientação comunitária da ETEC CEPAM, que foi precedido pela palestra “Estatuto da Criança e do Adolescente: Histórico de criação e desafios atuais”, do professor da casa José Nildo.
O FESTIVAL NOSOSTROS, promovido pelo Centro de Convivência Gracinha, encerrou esta semana tão especial com diversas atrações culturais e artísticas, pois acreditamos que o acesso à cultura é um direito fundamental, por isso ocupar o território com oficinas, música, dança, teatro e poesia é dever do nosso serviço.

Parlamento Jovem Paulistano 2018 / Parlamento Jovem Paulistano 2018

Com o objetivo de oferecer aos estudantes do Município, matriculados no Ensino Fundamental II, uma formação para o exercício da cidadania e a promoção da democracia, em 2001 a Câmara Municipal de São Paulo criou o Parlamento Jovem Paulistano. Por um dia, 55 jovens selecionados por meio de um concurso de Projetos de Lei (PL) exercitam as funções e os trabalhos do Poder Legislativo.
A Escola Gracinha há 10 anos participa dessa simulação e desenvolve, numa etapa anterior, um trabalho de pesquisa dos problemas da cidade de São Paulo e a elaboração de PLs para solucioná-los. Os projetos a serem enviados para o concurso são votados depois de um debate regrado, realizado no auditório da escola. Desde 2016, os jovens do Centro Clarisse e da ENSG desenvolvem juntos os projetos.
Neste ano, um educando do Centro Clarisse e aluno da EMEF Vianna Moog, Gabriel Henrique Soares Ramos, e uma aluna da Escola Gracinha, Luiza Badin, foram selecionados entre 179 projetos inscritos e representarão, nos dias 5 e 9 de novembro, seus grupos de trabalho, com os PLs que desenvolveram nas áreas de Trânsito e Transporte e da Saúde, respectivamente.
Parabenizamos todos os jovens e educadores envolvidos no processo!

Festival Nosotros / Festival Nosotros

Com atrações musicais, teatrais, oficinas variadas e um espaço lúdico, o Festival encerrou a XVIII Semana do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) do Butantã, da qual o Centro Gracinha participa desde o início junto com outras instituições da região.

Sendo o acesso à cultura um direito fundamental, a ocupação do território com manifestações artísticas e culturais é uma meta do nosso trabalho. O tema educacional do ano no Gracinha, cultura latino-americana, foi a inspiração do evento, desafiando concepções de nós e outros. No dia 29 de setembro fomos nosotros.

Propondo-se a pensar NosOutros, o evento abordou questões relacionadas ao fazer coletivo como ação fundamental para o desenvolvimento de habilidades emocionais, manuais e de socialização.

Os visitantes puderam ampliar seus horizontes a partir do encontro consigo e com o outro, em mútua aprendizagem, onde o que somos está diretamente relacionada ao que fazemos.

A atuação das crianças, adolescentes e famílias organizando, executando e participando do evento foi indispensável!

Parlamento Jovem 2018 / Parlamento Jovem 2018

Neste mês, adolescentes do Centro Clarisse e da Escola Gracinha, em encontros realizados nas duas unidades, elaboraram, apresentaram e votaram os Projetos de Lei a serem encaminhados para o Parlamento Jovem 2018.

No processo, os estudantes discutiram problemas da cidade de São Paulo que os tocam de perto, partilharam experiências e observaram as diferenças em suas vivências. Chegaram, entretanto, a pontos de convergência no desenvolvimento dos três projetos, ao se guiarem pelo bem comum da cidade.

O Projeto de Lei (PL) de educação propôs “a instalação de um sistema de laboratórios de fabricação digital nos 46 CEUs do município de São Paulo, que servirão de polo de educação tecnológica nas regiões em que se encontram”. Propôs também a criação de um aplicativo para instruir os participantes sobre o uso dos equipamentos e divulgar as ações e resultados dos trabalhos.

O PL de saúde propôs a criação de uma Unidade Móvel de Saúde Escolar para cada Diretoria Regional de Ensino. Um agente de saúde escolar trabalhará na medicina preventiva, diagnosticando os problemas de saúde das crianças e adolescentes e encaminhando a uma Unidade Móvel para atendimento.

O terceiro projeto, de mobilidade urbana, propôs que “empresas de médio e pequeno porte que se mudarem para os bairros com o Índice de Desenvolvimento Humano inferior a 0,5 terão um desconto significativo em seu IPTU por dez anos, podendo se estender de acordo com o tempo de permanência da empresa no lugar”, uma forma de pensar na qualidade de vida dos trabalhadores e nas condições de mobilidade urbana e ambientais da cidade.

A votação foi realizada por alunos dos 8º anos da ENSG e educandos do módulo II do Clarisse que se inscreveram para as vagas de eleitores.

Boa sorte na próxima etapa!

Grupo de Danças Brasileiras no SESC Campo Limpo / Grupo de Danças Brasileiras no SESC Campo Limpo

O Grupo de Danças Brasileiras do Centro de Convivência Gracinha conduziu no domingo, 29 de julho, a vivência do evento Manifestações Populares do Brasil, no SESC Campo Limpo.

Com ensaios abertos e vivências, o projeto do SESC busca estimular as brincadeiras e danças de várias manifestações populares do Brasil, integrando os participantes por meio da experimentação de ritmos e estilos de danças. Nesta edição do evento, o foco foi a cultura popular do Bumba meu Boi, com a condução do Centro Gracinha.

As festas do Boi que acontecem no Gracinha já são uma tradição no Butantã. Agora, o grupo composto por crianças e adolescentes entre 06 e 14 anos, que desenvolve ações voltadas para manifestações culturais brasileiras, tais como Maracatu, Ciranda, Coco e Bumba meu Boi, pôde compartilhar esta tradição com um público mais amplo.

A apresentação foi emocionante, com participação expressiva do público do SESC Campo Limpo! As famílias dos Centros Gracinha e Clarisse foram convidadas a acompanhar o grupo e participar desta e de outras atividades culturais e esportivas disponíveis no local.

IX Conferência Regional dos Direitos Humanos da Criança e do Adolescente do Butantã / IX Conferência Regional dos Direitos Humanos da Criança e do Adolescente do Butantã

Nos dias 24 e 25 de maio, os Centros Clarisse e Gracinha participaram, no CEU Uirapuru, da IX Conferência Regional dos Direitos Humanos da Criança e do Adolescente do Butantã, organizada pelo FoCa-Bt – Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Butantã. Essa é a primeira etapa realizada na cidade de São Paulo.

O FoCa-Bt, ao longo de 18 anos, vem trabalhando e articulando ações em defesa das crianças e dos adolescentes no bairro do Butantã, aprimorando cada vez mais sua atuação. Em 2018, com o apoio de instituições e escolas da região, a Conferência reuniu cerca de 250 crianças, adolescentes, jovens e adultos em dois dias de muito debate e compartilhamento de experiências.

Essa Conferência teve como tema “Proteção integral, diversidade e enfrentamento das violências”. Os participantes escolheram 10 subtemas para discutir, buscando as causas dos problemas e propostas para solucioná-los.

Ao final do segundo dia de discussão, foram eleitos 34 delegados e suplentes que irão representar o Butantã na Conferência Lúdica Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescentes e na Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da cidade de São Paulo, que acontecerão em setembro e novembro. Desses 34 delegados, 5 são dos Centros Clarisse e Gracinha: Karen Ranyere de Almeida Cardoso, Micaela Nichols Alen Pereira, Heitor Benevides Ribeiro, Maria Anete de Oliveira Silva e Roberta Reiko Durante Sato Bodião.

Semana de Combate à Violência / Semana de Combate à Violência

Na semana de 14 a 18 de maio, ocorreu na região do Butantã a III Semana de Combate à Violência, uma ação proposta e organizada pelo FoCa-Bt – Fórum de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Butantã. O objetivo foi provocar uma reflexão sobre as diversas formas de violência e violações de direitos sofridos pelas crianças e adolescentes da região.

Estabelecido a partir da morte de Araceli Cabrera Crespo, uma menina de oito anos que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada no Espírito Santo em 1973, 18 de maio se tornou, desde 2000, o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso, Exploração e Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. O caso permanece ainda hoje sem solução e a data serve como um lembrete à sociedade de que essa realidade ainda não foi superada.

As unidades Clarisse e Gracinha, da Ação Social, participaram ativamente da Semana. Realizaram programações pensadas para contextualizar e sensibilizar os educandos, educandas e suas famílias, sobre a temática da violência sexual. A campanha “Não engula o choro” mostrou como identificar e denunciar situações de violência.

Ambos os centros organizaram Slams – batalha de poesias autorais – nas suas atividades. O Slam Gracinha foi a ação catalisadora da temática da semana. Já no Clarisse, o Slam aconteceu em conjunto com o CCA São Miguel e teve a participação da slamer Patricia Meira em uma oficina de produção de poemas.

O Centro Gracinha realizou também uma conferência livre – etapa preparatória para a conferência regional – que contou com a participação de alunos da EMEF Arthur Whitaker, fortalecendo o polo da rede de proteção do qual fazem parte. Já o Centro Clarisse fez uma atividade no Parque Raposo Tavares, em parceria com CCAs São Mateus, São Gabriel e São Miguel para falar sobre o direito ao lazer na comunidade.

Destacamos ainda a roda de conversa sobre racismo e intolerância com os educadores do serviço de medidas socioeducativas em meio aberto, Renato, Elder e Paulo Kizumba, com as crianças e adolescentes do Clarisse. Para as famílias do Gracinha, o DE.BATE PAPO trouxe a coordenadora do Núcleo de Proteção Jurídica do CREAS-BT, Lídia Inti, para falar sobre violência intrafamiliar; a militante feminista da marcha das mulheres, Cínthia Abreu, abordando o tema do direito ao próprio corpo; e Fábio Barbosa, do Fórum de Sustentabilidade e supervisor de habitação em duas gestões municipais, tratando do direito à moradia.

Horta Vertical / Horta Vertical

Da composteira à horta vertical, mais do que recursos didáticos, é a sustentabilidade em ação no Clarisse!
Em abril, finalizamos o primeiro ciclo do Projeto Sustentabilidade em Ação, com o plantio das mudas da horta vertical.
O projeto teve início em 2016 com a aquisição e montagem de uma Composteira e Minhocário. Ao longo de um ano, os educandos do módulo I foram responsáveis por cuidar da composteira, alimentando e recolhendo o composto. Descobriram quanta vida existe num punhadinho de terra, em que organismos microscópicos e minhocas reciclam toda a matéria orgânica, transformando-a em um rico adubo! Com isso, a matéria orgânica que iria para o lixo comum – resíduos orgânicos representam a maior parte do lixo poluente no Brasil -, com o tratamento certo virou um rico adubo para nossa horta.
A estrutura da horta foi construída com pallets, doados e comprados, que foram reciclados, lixados, tratando a madeira, que depois foi pregada na parede.
Invertendo a lógica de que só os mais velhos têm a ensinar, foi realizado um intercâmbio de conhecimentos no qual educandos do módulo I, munidos do conhecimento sobre a composteira, ensinaram aos educandos do módulo II o quanto o húmus produzido nela ajuda no cultivo de uma horta orgânica, livre de venenos, e também como alimentá-la para que isso seja possível. Assim, colocando o novo conhecimento em prática, prepararam um bom solo – substrato – para o plantio.
A cada dia, com muita conversa e trabalho, preenchemos a nossa horta de plantinhas e sementes, que cuidaremos coletivamente. Elas serão a base da continuidade da nossa Sustentabilidade em Ação!
Mais do que recursos didáticos, as atividades envolvendo a composteira e a horta trouxeram aos educandos e educadores, bem como a outros atores do Jardim Jaqueline, interações e ensinamentos sobre o cuidado com a nossa saúde e alimentação, o respeito com animais, plantas e o nosso planeta como um todo, compreendendo o ecossistema como vivo e interligado.

Direito à cidade / Direito à cidade

No mês de abril, realizamos no Centro Gracinha um Estudo do Meio com a temática do direito à cidade, que é uma etapa preparatória para a participação dos educandos na Conferência Regional de Direitos Humanos da Criança e do Adolescente.

Este estudo aconteceu em parceria com o Centro de Convivência Clarisse e a 2ª série do Ensino Médio da Escola Nossa Senhora das Graças.

A proposta é a interação entre os diversos participantes, a partir de seus olhares para as questões urbanas e sociais da cidade possíveis de serem observadas na periferia da Zona Oeste de São Paulo.

Os adolescentes foram orientados a observar se os direitos à moradia, aos espaços verdes, ao lazer e à mobilidade estão sendo garantidos ou violados na gestão das políticas públicas municipais, tendo como base as determinações do Plano Diretor da cidade.

Uma série de três encontros entre os alunos da Escola e os educandos dos dois Centros compõem o trabalho. Neles estão previstas conversas com lideranças comunitárias do Butantã, bem como com a visita ao Jardim Jaqueline e à favela do Labirinto, no Jardim Monte Kemel. As duas primeiras etapas ocorreram no dia 17 e 24 de abril e a última acontecerá no dia 8 de maio.

Após as saídas a campo, os participantes se reunirão para compartilhar suas observações e construir em conjunto propostas de solução para os desafios identificados.

Como desdobramento do estudo, os alunos da ENSG foram convidados a participar da Conferência Regional da Criança e do Adolescente do Butantã, da qual os Centros já participam desde 2001.

Renascimento do Boi / Renascimento do Boi

No dia 7 de abril, quem visitou o Centro de Convivência Gracinha participou de uma imersão cultural na festa do Renascimento do Boi.

Esta festa popular brasileira tem suas origens ligadas às culturas europeia, indígena e africana, facilmente perceptível nas indumentárias, adereços, instrumentos e personagens presentes no folguedo. O  Bumba Meu Boi acontece principalmente no estado do Maranhão, embora esta representação esteja presente, de diferentes formas, em diversos estados brasileiros.

Em São Paulo, esta manifestação cultural foi trazida por imigrantes maranhenses e se disseminou em vários bairros da cidade. No  bairro do Monte Kemel, ela acontece em três festas ao longo do ano no Centro de Convivência Gracinha. As três festas são relacionadas ao ciclo da vida: nascimento, batizado e morte.

Nelas, crianças, adolescentes e ex-gracinhas tocam, dançam e cantam ao som de instrumentos originários da tradição, como os pandeirões, tambores-onça, matracas e maracas, que são aquecidos na fogueira. Além de personagens que representam as três culturas que deram origem à brincadeira –  o boi, o vaqueiro, as índias e o amo –, alegra também a festa uma decoração criada com a temática dos santos juninos.

No decorrer do ano, o grupo de dança faz ensaios abertos para os outros educandos e a comunidade em geral, que responde participando ativamente de todas as festas.

A primeira festa do ciclo do Bumba Meu Boi, o renascimento, foi um sucesso. Em junho e novembro acontecem os rituais de batizado e morte do boi.

Venha dançar e se divertir com a gente, participando dos ensaios todos os sábados!

O Projeto Passarim suspende atividades em 2018 / O Projeto Passarim suspende atividades em 2018

Ao longo de seis anos, a ASPF manteve o Projeto Passarim, que beneficiou mais de 3.000 crianças e adolescentes, atendidos nas suas unidades – Centros Clarisse e Gracinha – e em outras instituições – Casa de Cultura do Butantã e CEU Uirapuru.

Nesses anos, o Projeto contou com as parcerias das instituições citadas, com a colaboração de voluntários e doadores e com a dedicação de todos os profissionais envolvidos.

Lamentamos informar que, apesar dos esforços e do excelente trabalho realizado, as atividades do Passarim foram suspensas no ano de 2018, em decorrência do atual cenário econômico-financeiro restritivo do país, que também nos afeta.

Agradecemos imensamente o empenho de cada um, especialmente do coordenador do Projeto, Danilo Tomic.

Contando com a compreensão de todos, continuaremos nos empenhando para que a suspensão seja temporária e breve.

Passarim no programa Cidade Viva / Passarim no programa Cidade Viva

O programa Cidade Viva, da TV Câmara, realizou uma matéria para apresentar a Casa do Bandeirante e a Casa de Cultura do Butantã.

O Projeto Passarim que há quatro anos integra a programação da Casa de Cultura, conta com crescente adesão de alunos de todas as idades, inclusive parentes. Nessa matéria o Passarim teve a oportunidade de contar um pouco sobre a rotina do projeto, com depoimentos dos professores e educandos que participam das aulas. Confira na íntegra!

Comunicado sobre a Nova Escola / Comunicado sobre a Nova Escola

As atividades da Nova Escola serão encerradas ao término deste ano letivo de 2017. Todas as medidas legais e administrativas estão sendo tomadas para que tudo se faça com respeito aos alunos, às famílias e aos funcionários da unidade.

Bloco de Carnaval Centro Gracinha / Bloco de Carnaval Centro Gracinha

Dia 24 de fevereiro foi dia de bloquinho de rua no Centro de Convivência Gracinha. Para motivar os educandos e seus familiares a participarem da ação carnavalesca, as atividades de preparação tiveram início no começo da semana. O dia do troca, da festa do pijama e do grito de carnaval livre foram fundamentais para que todos perdessem a timidez durante o carnaval.

O bloco que percorreu as ruas do bairro com destino ao parque Chácara do Jóquei contou, no período da manhã, com a presença das crianças, adolescentes e funcionários do Centro de Convivência Clarisse e, no período da tarde, com a ilustre participação de Maria da Conceição, cozinheira do Gracinha que, após 30 anos trabalhando na Associação Pela Família, se aposentou no final do último ano.  Com toda sua alegria e magnitude, Dona Maria brilhou nas ruas como porta-bandeira.

Durante o percurso, pais, vizinhos e moradores incorporaram-se ao bloquinho e caíram na brincadeira. Os alunos do colégio Objetivo também entraram na folia!

Ao chegar no destino final programado, a percussão que garantiu a animação da passeata se organizou no coreto e as crianças brincaram no gramado, pulando e cantando marchinhas de carnaval.

Confira como foi!

Passarim no Prêmio Camões / Passarim no Prêmio Camões

Instituído em 1988, o Prêmio Camões de Literatura foi criado com o objetivo de consagrar um autor de língua portuguesa que, pelo conjunto de sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do patrimônio literário da língua.

Neste ano a entrega do prêmio aconteceu na área externa do Museu Lasar Segall, no dia 17 de fevereiro, em São Paulo, e os nossos Passarins tiveram a honra de realizar a abertura da  cerimônia.

O coral, preparado e regido pela professora Viviane Valadão, acompanhado pelo piano do maestro Danilo Tomic, teve como público inúmeras personalidades do universo literário, artístico e político, tais como o escritor Raduan Nassar, premiado durante o evento, e o Ministro da Cultura Roberto Freire.

Confira como foi! 

Apresentações Passarim / Apresentações Passarim

Nossos passarins estão com uma agenda com apresentações incríveis para fechar esse ano com muita animação. Confira as próximas datas e não perca!

Apresentação do Coral Passarim EMEF César Arruda Castanho  (6º ano)

Data: 05/11/2016, sábado às 08h30

Local: Teatro do CEU Uirapuru

Sobre o evento: Mostra Cultural 2016.

Apresentação do Coral Passarim EMEF César Arruda Castanho  (6º ano)

Data: 09/11/2016, quarta-feira às 10h00 e às 15:30

Local: Teatro do CEU Uirapuru

Sobre o evento: Jornada Pedagógica dos Professores da rede pública municipal do Butantã.

Apresentação da Camerata Passarim Centro Gracinha

Data: 26/11/2016, sábado às 09:30

Local: Centro de Convivência Gracinha

Sobre o evento: Morte do Boi, parceria da Camerata Passarim com o Grupo de Danças Brasileiras Passaredo, do Centro Gracinha.

Apresentação Canto e Coral e Escaleta do Centro Clarisse

Data: 30/11/2016, quarta-feira às 20h00

Local: Centro Clarisse

Sobre o evento: Encerramento anual das turmas de canto e escaleta.

Apresentação de Violino e Percussão do Passarim CEU Uirapuru

Data: 01/12, quinta-feira, às 19h30

Local: Teatro do CEU Uirapuru

Sobre o evento: Encerramento anual das turmas de Violino e Percussão do CEU Uirapuru.

Apresentação do Coral Passarim EMEF César Arruda Castanho  (6º ano)

Data: 02/12, sexta-feira às 08h30

Local: Teatro do CEU Uirapuru

Sobre o evento: Encerramento anual das turmas do 6º ano.

Apresentação do Coral Passarim EMEF César Arruda Castanho  (4º ano)

Data: 02/12, sexta-feira às 14h00

Local: Teatro do CEU Uirapuru

Sobre o evento: Encerramento anual das turmas do 4º ano.

Apresentação dos grupos de Violino, Musicalização, Canto Coral, Coral Passarim e Camerata Passarim

Data: 03/12, sábado a partir das 13h

Local: Centro de Convivência Gracinha

Sobre o evento: Encerramento anual dos grupos e Mostra Cultural do Centro Gracinha.

Apresentação dos grupos de Cordas e da Camerata Passarim – Casa de Cultura do Butantã

Data: 06/12, terça-feira às 19h00

Sobre o evento: Encerramento anual dos grupos na Casa de Cultura do Butantã.

Apresentação da Camerata Passarim Casa de Cultura na LINHA AMRELA do Metrô.

Data: 08/12, quinta-feira, das 14h00 às 17h00.

Local: Duas estações da Linha Amarela – 14h30 na Estação Butantã e 16h00 na Estação Luz.

Apresentação do Coral Passarim – trechos do show “Todas as vidas”

Data: 13/12, terça-feira às 20h00

Local: Escola Nossa Senhora das Graças

Sobre o evento: Formatura do 3º ano EM da ENSG.

Apresentação do Coral Passarim

Data: 16/12, sexta-feira às 12h00

Local: Pátio Vila Sonia (Via Quatro)

Sobre o evento: Apresentação na confraternização de fim de ano dos funcionários da Via Quatro.

Apresentação do Coral Passarim EMEF César Arruda Castanho (5º ano)

Data: 16/12, sexta-feira às 16h00

Local: Teatro do CEU Uirapuru

Sobre o evento: Encerramento anual do Coral, turmas do 5º ano, durante a formatura.

 

Centro de Convivência Gracinha no Schollas Cidadania / Centro de Convivência Gracinha no Schollas Cidadania

O programa Schollas Cidadania é uma iniciativa organizada pela fundação Scholla Ocurrentes em parceria com a prefeitura de São Paulo. Esta organização foi criada após a iniciativa do Papa Francisco, quando ainda era bispo em Bueno Aires, de reunir adolescentes, de escolas públicas e particulares, para debater sobre as problemáticas relacionadas pelos próprios adolescentes em relação à política pública de sua cidade e entre eles construírem propostas ao poder público local, bem como formas de comprometerem-se para a efetivação dessas políticas.

Inicialmente a proposta era voltada apenas para escolas. Porém a atuação do Centro de Convivência Gracinha durante o fórum regional de direitos humanos de crianças e adolescentes do Butantã – FOCA-BT, foi destaque em uma das reuniões da secretaria municipal de educação, possibilitando que a unidade fosse a única organização a participar do evento, abrindo esse precedente dentro do programa e conferindo uma conquista importante para a Ação Social da ASPF.

As problemáticas selecionadas pelos adolescentes foram: Intolerância racial, religiosa, contra gêneros, contra classes sociais e a homofobia, bem como o sistema educacional brasileiro.

Ao longo da semana os adolescentes passaram por diversas etapas: reflexão e debates coletivos, pesquisa de dados sobre os assuntos elencados, entrevistas com especialistas, construção de propostas, produção de seminários e apresentações artísticas. Foi uma semana bem intensa em que os adolescentes participaram ativamente, destacando-se na produção artística.

Confira como foi o dia 28 de outubro, último dia de atividade da semana Schollas Cidadania, que contou com a presença da primeira dama municipal e coordenadora do programa São Paulo carinhoso, Ana Estela Haddad, da vice-prefeita e atual secretária de educação Nádia Campeão, além da representante da secretaria de cultura responsável pelo programa jovem educador cultural. Os adolescentes apresentaram suas propostas e reivindicações às autoridades e encerraram o evento com a plantação de uma Oliveira, no espaço do CEU Cidade Dutra, símbolo do programa.

Para saber um pouco mais sobre a iniciativa deste projeto confira o vídeo disponível no link a seguir.

https://www.youtube.com/watch?v=d987xRsj-rs